sábado, 28 de dezembro de 2013

Passagem de ano (2013 ---> 2014).



                       Provoquei neste final de ano o amigo e poeta Jesus de Rita de Miúdo, das terras do Acari no Rio Grande do Norte, e para minha felicidade recebi uma resposta poética imediata. Querem ver? Pois bem, vejam-na na integra:

                   Aos companheiros “feicebuquenses” os meus sinceros votos de melhores dias no transcorrer do ano que se avizinha. Faço-os em versos (glosa) na esperança, que o amigo Miudim de Ritinha de Miudo, também o faço utilizando este mesmo mote.

Mote: 
       Um ventinho enxerido
       Assopra, Assopra.., Assopra  Deus!...
                         Glosa:
        Para um homem já vivido,
        Destes de banco de praça,
        É motivo de achar graça
        Um ventinho enxerido...
        Colabora, esse atrevido,
        Em limpar os olhos seus,
        Que parecem dois pneus,
        Ao levantar uma saia...
        Sente um furor de gandaia:
        Assopra, Assopra... Assopra Deus!...

        Natal-RN, 27 de dezembro de 2013.
                Gibson Azevedo – poeta.




                                         Eis a resposta do Miudo:
                       Eu não me contive. Lá vai.

                       Mote:
                                  UM VENTINHO ENXERIDO
                                  ASSOPRA, ASSOPRA... ASSOPRA DEUS!
                       Glosa:
                                   É de fazer alarido
                                   Passeando pela rua
                                   Pois lhe deixou seminua
                                   UM VENTINHO ENXERIDO
                                   Levantou o seu vestido
                                   Fez abrir os lábios meus
                                   Logo eles, tão ateus
                                   Viraram crentes na hora
                                   E rogaram sem demora:
                                   ASSOPRA, ASSOPRA... ASSOPRA DEUS!

                                          Jesus de Rita de Miudo - poeta (27/12/2013).
 

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Mensagem natalina.

                          Com esta imagem futurista da minha amada cidade de Natal, ouso deixar minha mensagem natalina a todos que, voluntariamente estiveram conosco através deste humilde espaço cibernético, durante o ano que se finda. Desejo a  estes internautas melhores dias, repletos de vitórias nos semestres vindouros...
Estádio Arena das Dunas em fase final da sua construção.




           

                                          Assim   como    em   priscas  eras,
                       o  espírito  natalino hoje também se manifesta  
                       em  nós todos e renova  a  esperança   em  dias
                      melhores,  nos quais  a atitude  da humanidade
                      haverá de ser realmente um conviver de irmãos.
                                           Boas Festas   e  um feliz  Ano Novo
                       para você e sua querida família.
                                          São os votos sinceros de
                                              Gibson Azevedo
                                                     e  família.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

São poucas as gentilezas...



                   Recentemente, o querido vate Jesus de Rita de Miúdo, amigo das terras do Seridó-RN, publicou matéria no blog bardeferreirinha,  na qual mostra, com muita jocosidade, uma foto onde  temos em primeiro plano uma baita de mulher, bem dotada na forma e direção que quisermos olhá-la. No entanto, de propósito, ele somente enxerga um velhinho com a imagem apagada, de pouca nitidez, vez que, o dito se encontra por trás daquele monumento da natureza. Assim mesmo, a ênfase do caríssimo poeta é justamente àquele exemplar da terceira idade e os seus privilégios legais...         É falta de educação mesmo!  Eu endosso...
                No caso, Miudim falou pouco e disse muito:

               Há um ditado oriental que diz 'olhai como eles tratam os seus velhos, e sabei se são bons ou não'.
              Mas, macho véi, no Brasil tem sido difícil encontrar quem olha bem pelos idosos.
              Tirando fila de caixa prioritário, de banco de praça a corredor de hospitais, ninguém olha bem para o ancião.
              Tem cabra que enxerga tudo, menos a fragilidade de um velhinho.
              Veja na foto abaixo como o velhinho se apresenta com um semblante constrangido por estar de pé.
              Qual velhinho? Aquele ali, de casaquinho azul, segurando na barra, com uma folha de ofício na mão, rapaz.

MOTE
É falta de educação
Não olhar para o idoso

GLOSA

Deixar de pé o ancião
Não lhe ceder o lugar
Não deixá-lo se sentar
É falta de educação
É ter perdido a noção
Num gesto até afrontoso
De humano impiedoso
Que não pratica a bondade
É falta de caridade
Não olhar para o idoso.

Jesus de Rita de Miúdo.
Acary do Seridó (RN)

Aqui eu também demonstro a minha modesta opinião de repúdio ao descaso para com os velhinhos:

Mote:
             É falta de educação
             Não olhar para o idoso.
Glosa:
             Chega a ser uma agressão
             Tornar um velho” invisível”,
             Além de não ser possível
             - É falta de educação...
             Desde o mais alto escalão,
             É um fato horroroso,
             Que me deixa furioso:
             No meio de tanta gente,
             Ver um Cabra indiferente
             Não olhar para o idoso!...

    Natal-RN, 26 e novembro de 2013.
            Gibson Azevedo – poeta.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...